Continuando com esta série sobre como treinar seu instrumento, vamos falar com você que está no nível intermediário. Lembrando sempre que é muito importante você procurar um bom professor, para saber se está fazendo tudo de maneira correta, não adianta apenas saber o que fazer, é preciso saber COMO fazer.

A primeira coisa que precisamos é ter uma base:

Notas Longas

Articulação

Ligaduras

Notas Longas

Como você já está em um nível mais a frente, é importante deixar estes exercícios com uma duração maior. Existem várias maneiras de se tocar notas longas, fazer articulações e ligaduras, o importante é explorar todo o instrumento e todas as regiões. Todos os exercícios a seguir, devem ser feitos em todas as posições do seu instrumento. Um exemplo de notas longas:

exercício de notas longas

Em seguida, faça o mesmo exercício começando pela nota fá e pela nota si bemol grave:

exercício começando pela nota fá

exercício começando pela nota si bemol

 

 

 

Articulação

Na articulação, seguimos o mesmo princípio, começamos com o si bemol e vamos até a última posição, segue para o fá e depois o si bemol grave. Um dos modelos que você pode usar é este:

exercício de articulação

Ligaduras

Nas ligaduras, vamos seguir da mesma maneira e tocar as notas em todas as posições. Aqui, vamos tocar os exercícios sempre subindo uma nota no próximo:

exercício de ligaduras

exercício de ligaduras

Seguindo esta base, você pode adicionar outros elementos ao seu estudo. O primeiro deles é a escala.

Escalas

A escala serve para muita coisa, mas a principal delas é você conhecer todas as notas e todas as tonalidades. Comece com as escalas maiores, de maneira simples, uma oitava ascendente e descendente. Se você ainda não conhece as escalas, comece devagar, treine duas por dia. Você pode começar com a escala de dó maior e em seguida com a escala de fá maior

exercícios de escalas

exercício de escalas

É importante seguir uma ordem, para você conseguir organizar melhor os estudos e facilitar o entendimento das escalas. Neste primeiro caso, coloquei a escala de dó maior, que tem todas as notas naturais e a escala de fá maior, que tem o si bemol. Depois disto, você pode acrescentar sempre um bemol a mais na escala, então a próxima é a de si bemol maior, que tem o si bemol e o mi bemol. E assim por diante. Em seguida, vá para os sustenidos.

Agilidade

Mais um elemento que você pode adicionar na sua prática é a agilidade. Se você toca trombone, vai treinar a agilidade do braço direito, procurando deixá-lo leve e sem dar trancos ao tocar. Um bom exercício é este:

exercício de agilidade

exercício de agilidade

exercício de agilidade

Existem vários métodos que podem ajudar você a manter uma boa rotina, mude esta rotina com frequência, a cada dois ou três meses, pra não ficar chato e para você melhorar aquelas habilidades e não aqueles exercícios específicos. Eu recomendo alguns:

The Remington Warm-up Studies

*Comprando por este link você ajuda no financiamento do projeto Em frente. Marche!

– Alessi Warm Up And Maintainence Routine

– Coletânea de aquecimentos e rotinas diárias para trombone de vara – Wagner Polistchuk

– Exercícios para trombone – Fernando Chipoletti

Superando Dificuldades

Na segunda parte do seu dia de treinamento, você deve dar atenção especial ao que tem maior dificuldade. Caso, você tenha dificuldade na articulação, dedique um tempo após o trabalho de base, se tem dificuldade em ligaduras, dedique um tempo a mais. Você pode escolher métodos específicos para cada área.

É importante que você diversifique nesta segunda parte, nós estamos usando os músculos do rosto para tocar, se você forçar demais, pode causar um problema futuramente. Então, se em um dia você praticar flexibilidade, no outro, treine agilidade do braço ou dos dedos. A flexibilidade demanda muito esforço dos lábios, se você treinar todos os dias, pode ter problemas no futuro. É como em uma academia, ninguém faz o mesmo exercício todos os dias.

Todos estes métodos são para trombone, mas podem ser usados por qualquer outro instrumento do “low brass”.

Articulação e escalas:

Robert Müller – Technische Studien für posaune – Livro 1

Flexibilidade:

Charles Colin – Advanced Lip Flexibilities

Ligadura e Fluxo de ar:

Joannès Rochut – 120 melodious etudes for trombone

E para finalizar o seu dia, pratique as músicas da sua banda, lembrando sempre de deixar para o final aquelas que mais gosta.

Lembre-se sempre de treinar constantemente, não adianta tocar durante doze horas em um dia, e ficar seis dias parado. Isso não funciona, melhor treinar seis dias e tirar um para descansar. Faça as contas de quanto tempo você tem por dia e divida esses passos, mesmo que sejam cinco ou dez minutos para cada coisa, o importante é fazer bem feito. Peça sempre a orientação de um professor.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here