É muito comum ver as baquetas de percussionistas encapadas com fita branca. Mas afinal, por que encapar as baquetas?

Neste artigo vamos explorar este assunto específico da percussão rudimentar e para isso, usaremos como referência o conteúdo de um canal “gringo” chamado “Grid Book Percussion”, que fizeram um vídeo onde questionam se realmente os percussionistas rudimentares sabem porquê deveriam encapar suas baquetas de tenores, caixas e bumbos polifônicos. Se você fala inglês, não deixe de conferir, caso contrário fique com a gente e aprenda por que e como encapar suas baquetas.

O vídeo original (acima) está em inglês, por isso resolvemos traduzir esse conteúdo para você ter acesso a essas dicas super interessantes, e aproveitamos para tecer alguns comentário que podem ser bastante úteis para percussionistas rudimentares, professores de percussão, maestros e dirigentes de bandas.

Aqui no Em frente. Marche! já publicamos um episódio do nosso podcast a respeito da formação de percussionistas, confira!

Compartilhe esse texto com seu amigo percussionista e nos ajude a espalhar a palavra.

Por que você deveria encapar suas baquetas?

Durabilidade

Como qualquer coisa na vida, os melhores equipamentos para percussão costumam ser caros, e as baquetas não escapam a essa regra. Para se ter uma ideia, as baquetas da Promark, considerada uma das principais marcas de equipamentos para percussão, chegam a US$ 30,00 (trinta dólares), que na cotação atual da moeda americana no Brasil equivale a algo em torno de R$150,00 (cento e cinquenta reais), fora frete e outras taxas.

Quem não pode gastar com substituições constantes de baquetas, talvez devesse investir na aplicação de fitas em suas baquetas, buscando aumentar sua durabilidade. No caso das “Snare Drums”, por exemplo, o impacto constante das baquetas na pele e o no aro, nos chamados “shots”, onde a baqueta deve atingir a pele e o aro simultâneamente, provocam rachaduras, que vão progressivamente comprometendo a estrutura do material, levando a quebra.

Visual


O efeito visual das baquetas encapadas, costuma ser o principal e mais comum motivo para se encapar as baquetas, e de fato é um recurso útil nesse sentido. Embora possam ser utilizadas fitas de qualquer cor, as fitas mais usadas são as brancas. Porque essa cor proporciona um destaque entre as baquetas e o uniforme dos percussionistas que outras cores não proporcionam.

Usando as fitas brancas, a impressão de sincronia é reforçada e o design final dos naipes de caixas ou “Snare Drums” ficam ainda mais atrativos, e suas apresentações passam a parecer mais performáticas, principalmente quando existem coreografias com as baquetas. No entanto, outras cores também podem ser utilizadas de acordo com as preferências do ritmista e/ou de sua corporação.

No início, quando o estilo de percussão rudimentar americano surgiu aqui no Brasil, era comum utilizarmos fitas de isolamento elétrico, papel contact ou outras alternativas que oferecessem o visual das baquetas encapadas. No entanto, não é apenas o visual que importa, dependendo do material utilizado, as baquetas podem ficar escorregadias ou com rugosidades que com o tempo podem machucar os dedos.

Por isso, é mais indicado o uso de fitas emborrachadas desenvolvidas exclusivamente para baquetas. Marcas como a Promark, Liberty One Drum Stick Tape, Shot Tape 1″ Wide Stick Tape são boas indicações e vale a pena a busca no Google para encontrar os melhores preços.

Como encapar suas baquetas?

Fonte: Grid Book Percussion

Antes de falarmos sobre como encapar as baquetas, é importante compreender a anatomia da baqueta, para dessa forma identificar suas áreas mais vulneráveis e outros fatores que podem atrapalhar o percussionista ao invés de ajudá-lo.

Anatomia da baqueta

As baquetas são compostas basicamente por 5 partes:

Ponta (Tip/Bead)

As pontas variam bastante em tamanho e formato, em função do tipo de som que se deseja extrair do instrumento.

Pescoço (Shoulder/Neck) ou Shot Zone

É a parte imediatamente após a ponta, e que vai engrossando gradualmente até formar o corpo da baqueta com o mesmo calibre até o final. Essa também é a parte que recebe a maior parte dos impactos enquanto tocamos. Essa área está constantemente se chocando contra os aros dos instrumentos, normalmente metálicos.

Eixo (Shaft)

É a região que antecede o lugar onde as mão seguram as baquetas.

Ponto de Equilíbrio (Fulcrum Zone)

Esse é o ponto de equilíbrio da baqueta, a região onde o peso da baqueta está perfeitamente distribuído e proporciona uma melhor mobilidade.

Bunda (Butt)

Bem, essa é a região posterior das baquetas, que também pode ser utilizada para tocar, mas que normalmente não é utilizada na maior parte do tempo.

Tape Zones

Existem muitas formas diferentes de encapar as baquetas, todas válidas, afinal, cada percussionista tem a liberdade de adequar seus equipamentos ao seus próprio estilo.
Contudo, é importante ressaltar que a ressonância ou vibração da baqueta ao tocar, será alterada e, consequentemente o som produzido por essa baqueta. Aqui, traremos quatro formas principais, que levam em conta a anatomia da baqueta e alguns objetivos específicos.

Pescoço (Shot Zone)

Ao tocar os instrumentos de percussão, a “shot zone” é a região que sofre a maior parte dos danos. Com o tempo, o pescoço da baqueta vai ficando mais frágil, e tenderá a quebrar em algum momento, além de o percussionista ser obrigado a lidar com as farpas de madeira liberadas pela baqueta desgastada. Este tipo de encapamento, aumentará a durabilidade da baqueta, sem tanto prejuízo a ressonância dela, pois a fita é aplicada apenas entre a ponta e o pescoço da baqueta.

Do Pescoço ao Eixo

Essa é uma ótima opção, principalmente para iniciantes. As fita demarca o ponto de alavanca (fulcrum), ajudando a manter a empunhadura correta das baquetas durante a execução. A durabilidade também é garantida, pois a região do pescoço e alavanca estarão protegidas pela fita.

Espaço (The Gap)

Essa é uma forma onde se encapa a baqueta complementamente, exceto na região do ponto de alavanca. É uma maneira interessante de encapar as baquetas, porque permite uniformidade, já que a parte não encapada fica coberta pela mão de quem está tocando.

Baqueta completa (Full Stick)

Aqui a baqueta é encapada completamente. Apesar da uniformidade, encapar a baqueta completamente pode diminuir a estabilidade ao tocar. Na medida em que as mãos dos percussionistas vão ficando suadas e é possível que as baquetas comecem a deslizar, prejudicando o desempenho. Caberá a cada ritmista identificar a forma de encapar mais adequada a seu estilo, performance e experiência. Mas não custa lembrar, que não é a baqueta que faz um bom percussionista, são as suas horas de trabalho com sua tábua de estudos.

Formas de aplicar a fita na baqueta

Alguns padrões para aplicação da fita também podem ser bastante úteis para ajudar os percussionistas a obter o resultado mais adequado às suas preferências e necessidades. Essa aplicação também influencia diretamente a performance, sendo necessário avaliar aspectos como a quantidade de material a disposição, se o ritmista soa muito pelas mãos, etc. A seguir, listamos alguns padrões bastante comuns para te ajudar a encapar suas baquetas.

Sobreposição fina (Thin overlap)

Fonte: Grid Book Percussion

Apenas uma fina camada de fita se sobrepõe a cada volta. Apesar de uma boa economia de fita, essa forma de encapar não oferecerá nada além de uma proteção superficial. Essa força de encapar é indicada para situações onde o visual é mais importante que a proteção em si.

Meia sobreposição (Half Ovelap)

Fonte: Grid Book Percussion

nessa opção as voltas se sobrepõe um pouco mais e a baqueta ficará um pouco mais protegida. Mas a fita se desgastará mais rápido, tornando a troca necessária.

Volta Dupla (Double Wrap)

Basicamente são aplicadas duas voltas de fita a cada etapa, procurando manter as linhas de sobreposição o mais próximas possível. Esse formato oferece a maior proteção e também um design limpo, uniforme e bonito para as baquetas

Direção

Um último aspecto que merece menção é: Sempre encape a baqueta em direção a ponta. Dessa forma você poderá substituir as fitas com facilidade quando for necessário. Não dar atenção a essa dica, pode ocasionar desperdício de material e muito trabalho a cada renovação das fitas.

Substitua a fita antes de apresentações ou quando notar que o desgaste está atingindo a madeira. Assim, suas baquetas vão durar muito e você obterá uniformidade, aspecto essencial na percussão rudimentar.

Gostou dessas dicas? Compartilhe com seus amigos percussionistas e também comente quais outros aspectos você leva em conta ao encapar suas baquetas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here